Caixa Seguradora e Nações Unidas parceiras por uma juventude melhor.

onuUm futuro melhor para todos se faz com uma juventude preparada para os desafios que o mundo traz. Por isso, nós da Caixa Seguradora firmamos uma parceria com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) para criar o Programa Embaixadores da Juventude.

São 20 jovens, de 18 a 25 anos, participando de cursos de formação durante os meses de setembro e outubro. Nesses encontros, os jovens desenvolvem suas capacidades de liderança e comunicação, onde se tornam mais críticos e interessados em temas relacionados à juventude. Assim, eles poderão contribuir para a discussão de políticas públicas nos níveis nacional e internacional.

Ao todo, são cinco módulos que exploram relações internacionais a partir de diversos temas como direitos humanos, juventude e sexualidade:

  • Módulo I – A Organização das Nações Unidas e o Mundo das Relações Internacionais.
  • Módulo II – Direitos Humanos e Juventude.
  • Módulo III – A Juventude e as Violações dos Direitos Humanos, Saúde e Sexualidade.
  • Módulo IV – Comunicando, Criando Conexões e Participando da Agenda Nacional e Internacional de Juventude.
  • Encontro final – Sessão Plenária e Entrega de Certificados.

O Programa Embaixadores da Juventude é uma forma de promover reflexões sobre o jovem e seu lugar no mundo. E essa parceria é mais uma das atitudes da Caixa Seguradora pelos jovens brasileiros.

Você pode acompanhar e saber mais sobre o programa em sua página no Facebook clicando aqui ou ainda pelo site do UNODC.

6 dicas que você precisa saber antes de mudar de carreira

INS-16.9.38.692-LD-INSTITUCIONALTodas as pessoas têm vários sonhos e planos. E quando se trata da carreira e da realização profissional, não é diferente. Por isso, não é raro encontrar profissionais sêniores insatisfeitos com os rumos que a carreira tomou ou ainda ambicionando algo completamente diferente ou até mesmo um sonho de infância.

Mas, antes de largar tudo, é necessário planejamento e cuidar para manter as conquistas de toda uma vida. Se você está pensando em como mudar de carreira, arrumar uma nova profissão ou conhece alguém que tem essa vontade, nós separamos algumas dicas.

 

Defina seu sonho

Seja abrindo um restaurante, uma agência de turismo ou virando professor, tenha claro pra você qual é o seu sonho. Além disso, seus hobbies e interesses muitas vezes podem apontar um caminho interessante e promissor: alguém que gosta de cozinhar ou de marcenaria, por exemplo, pode se ver como um chef ou um designer em alguns anos.

 

Planeje bastante

Mudar de carreira não envolve apenas sua profissão, mas também seus horários, recursos financeiros, a vida de sua família. Por isso, é importante fazer uma boa reserva financeira. Afinal, mudança de carreira pode levar você aos primeiros passos, com nível júnior e menor salário. Verifique se você está preparado para passar pelo tempo de aprendizado mantendo gastos como moradia, alimentação, saúde. Às vezes, também é uma opção se manter um tempo no emprego antigo até estar financeiramente estável antes de romper com tudo.

 

Entenda o cenário

Enquanto você junta dinheiro e pensa sobre o que gostaria de fazer, também pode ir entendendo o mercado de trabalho. Para isso, é importante analisar como está a demanda, se há público para o que deseja fazer – caso deseje empreender – ou como estão as contratações nessa área – se deseja ser empregado. Nessas situações, não basta só talento. Por isso, se o cenário não for animador, você pode criar etapas intermediárias, como cursos e especializações que vão melhorar suas perspectivas.

 

Converse

Procure profissionais ou colegas que fizeram a mesma transição que você ou mesmo que estão na área que você pensa em seguir. Com certeza essas pessoas podem indicar melhores caminhos, erros a evitar ou mesmo ajudar no futuro.

 

Faça networking

Se uma rede de contatos é importante em uma carreira na qual você está consolidado, imagine uma à qual você ainda nem chegou. Por isso, não despreze o networking que você já tinha – eles podem muito bem ter colegas em situações parecidas com a sua – e nem economize tempo e esforço em construir novos relacionamentos e contatos. Cursos e eventos da sua próxima carreira podem ser bons pontos de partida para conhecer gente nova.

 

Muita certeza no que faz

Por fim, é muito importante ter certeza de que deseja mudar de carreira. Decisões assim não podem ser influenciadas por modismos ou salários mais atraentes. Assim, você evita frustrações e arrependimentos.

 

Uma carreira não nasce da noite para o dia. Por isso, se planeje, converse muito com outros profissionais e mantenha a perseverança no que deseja. Cuidando bem de seus passos, seus sonhos ficarão ainda mais perto de se tornarem uma conquista real.

 

Fontes: Vagas.com.br, Revista Exame e UOL Economia.

Como usar a mesada para dar educação financeira

APost 30_1000x667ssim como qualquer adulto fica feliz quando chega o dia de receber o salário, toda criança ou adolescente abre um largo sorriso quando chega a data de ganhar a mesada. O dinheiro pode ser um instrumento importante de aprendizado para as crianças – os primeiros passos para que a educação financeira seja parte de toda a vida.

 

Na verdade, o ideal é que os pais e os pequenos não encarem essa quantia mensal somente como uma forma de custear só o que é bom, como brinquedos e guloseimas. A mesada também deve ser usada como forma de arcar com as responsabilidades do cotidiano. A seguir, listamos algumas dicas que podem dar mais sentido à mesada que você dá ao seu filho.

 

O valor das moedas

 

No início da infância, as noções sobre dinheiro devem acontecer aos poucos – a criança leva um tempo para entender o valor do dinheiro e a ter noções sobre organização. Sendo assim, nos primeiros anos, vale a pena dar a eles algumas moedas com periodicidade, para que guardem em um cofrinho. Aqui, o mais importante não é o valor, é fazer com que elas assimilem o tempo de espera para receber o dinheiro, entender que não podem ter as moedas sempre que pedirem.

 

Estabelecendo responsabilidades

 

O dinheiro não deve servir apenas para arcar com as delícias da vida. Quando a criança já tiver noções básicas de matemática e conseguir assimilar o valor do dinheiro, o ideal é que a mesada seja usada para pagar itens que fazem parte da rotina: reposição de material escolar, lanche na cantina, se a criança já tiver celular, o dinheiro pode ser usado para colocar crédito ou pagar a conta.

Se a criança estiver ansiosa para ter um brinquedo antes da chegada de uma data comemorativa, vale a pena incentivá-la a poupar a mesada para a compra daquilo que deseja. É o meio mais fácil dela começar a assimilar a importância de aprender a economizar e formar reservas.

 

Não associe dinheiro a bom comportamento 

 

Dinheiro não deve ser encarado como recompensa – pelo menos não durante a fase de aprendizado. Não é aconselhável que a criança associe bom comportamento a dinheiro. Atitudes como escovar os dentes periodicamente, alimentar-se bem e não dar respostas malcriadas aos mais velhos devem surgir por princípios, não por recompensa.

 

Com essas pequenas lições, as crianças aprendem hoje como cuidar bem do próprio dinheiro na vida adulta. Que tal começar hoje mesmo a preparar um futuro mais tranquilo para seus filhos?

Acompanhe mais Dicas de Dindin na nossa página no Facebook.